A AREIA É A CAÇULA DO CONCRETO

Edição verão 2009

Elas são diferentes, mas não escondem a mesma formação. Uma é morena, saiu à mãe – pele bronzeada, sorriso fácil e corpo salgado. Adora o mar e faz dele sua constante inspiração. Tem na malemolência a intimidade de amiga e nas flores e nas cores a estampa de sua condição. É a mais nova, caçula da história.


Chapéu e flor Maria Bonita Extra e maiô Luiza Bonadiman

A outra saiu ao pai, descendente de estrangeiros. É a primogênita. Por não ter quem lhe abrisse caminho à frente, começou discreta, rebolando pra conseguir voz e espaço como típica adolescente rumo à maturidade. Gritou, argumentou e esperneou até conseguir a chave de casa, depois a chave do carro, depois uma vaga em seu quarto para o namorado até o final e total convencimento dos pais de que poderia, sim, fazer da moda sua profissão e seu ganha-pão. Hoje em dia dirige o próprio carro, é dona da chave de sua própria casa e, em vez de pedir por ela, decide a quem vai dar – ou não – uma cópia para a porta de entrada. E construiu tão bem seu caminho que sua irmã, de sorriso fácil, corpo salgado, que adora o mar e que saiu à mãe, não precisou convencer ninguém do potencial de suas convicções.

A mais nova, morena, fez uma visita semana passada e, sem surpreender nem decepcionar, trouxe em sua bagagem ótimos maiôs e biquínis, bonitos vestidos e sugestivos comprimentos de calças para sua temporada de verão, a qual sem surpreender nem decepcionar, aportará num pôr-do-sol à beira-mar depois de um dia de mareada viração.

Acompanhada de uma paulistana frente-fria (regada a 100 anos de imigração de ban-chá e de saquê pra esquentar), em visita esta semana a irmã mais velha, que fadada a ser pioneira, passou seis meses percorrendo mundos distantes em sua constante busca por uma bagagem repleta de novidades e especiarias, em sua saga eterna de conquista de novos caminhos. Diferentemente da irmã, que sabe-se à vontade em seu território, anseia pelo que não tem ou por onde não está, vereda que lhe é, sempre, ou sua salvação ou sua perdição. Justamente por isso vez ou outra (com maior frequência atualmente) aceita como acompanhantes inexperientes aventureiros, que, fato, melhor se relacionariam com sua malemolente irmã mais nova. Mas, também por isso, vez ou outra é vista na presença de ilustres companhias – orientais, mais precisamente japonesas, ouvi dizer, para este verão.

A irmã concreta em arquitetura e infra-estrutura não terá seu pôr-do-sol ancorado à beira-mar mas certamente passará por ele, assim como por diversos outros portos, de areia ou de concreto, secos ou molhados por uma chuva de verão, nas inevitáveis encostas da terra brasilis ou do imigrante centenário Japão.

É a vez da Semana de Moda primogênita. Bem-vinda de volta.








Devaneios de uma tarde de verão numa cidade concreta.

Expediente amigo:
FOTOS: Tati Rodrigues
STYLING: Tati Rodrigues e Felipe Benitez
BELEZA: Felipe Benitez
MODELO: Danielle Chamma
LOCAÇÃO: a cobertura do prédio do (ex) apê da Dani

FOTOGRAFADO EM: Cyber-shot 5.0 megapixels🙂


E o wordpress resolveu colocar o blog todo em itálico.:-(

9 Respostas to “A AREIA É A CAÇULA DO CONCRETO”

  1. shay Says:

    adorei o texto!!!

    e sim, a SPFW tá bem melhor que a caçula… a tal ‘malemolência’ é uma praga! tá indo desde a vida política até a fashion week…

    o povo tem que levantar da cadeira, rebolar e fazer bonito e não ficar imerso nessa mesmice que reinou nessa edição.

    espero que a caçula recupere o rebolado na próxima, para andar com passos mais firmes em direção à conquista de seu espaço (porque só passos firmes ficam inseguros e falta a graça do rebolado).

  2. Roberta Sampaio Says:

    Oi,sempre leio teu blog mas nunca comentei..Mas é que esse texto de hoje,não deu pra não comentar…ARRASOU!!!!!
    Soube definir muito bem o que mais chama atenção em cada uma,o lado negativo e a alma(quem sabe?) de cada semana!
    Parabéns! ;*

  3. fernanda Says:

    sensacional o seu texto, tati. mega arrasou, eu amei cada linha, de coração. vc é ótema, cat. bom ter te conhecido, bom te ter por perto. arraaaaasa. =)

  4. COM QUE ROUPA EU VOU « o avesso do espelho Says:

    […] o avesso do espelho Just another WordPress.com weblog « A AREIA É A CAÇULA DO CONCRETO […]

  5. AUTOFAGIA FASHION « o avesso do espelho Says:

    […] Vai que as irmãs foram embora e o povo fashion tá curtindo resfriados mil, resguardos tipo pós-operatório, […]

  6. PREFERINDO… « o avesso do espelho Says:

    […] também aqueles a quem que admiramos e em quem nos inspiramos e porque ninguém, além de Buda e da caçula irmã Week, sacia-se em que […]

  7. mariana coelho Says:

    desde que fiz o curso da maria prata com vc q sempre entro aqui p dar uma bisbilhotada,mas nunca comento.Fiquei um tempinho sem vir e quando voltei(li cada post dos que perdi) me deparei com esse sobre as “irmãs”.Achei muito bom!muito bom mesmo.Uma das melhores comparações ja feitas, em um texto muito bem escrito.Paranéns Tati!
    entrarei sempre🙂
    ah, e as fotos ficaram super legais!
    bjbj

  8. PRO-VOCAÇÃO « o avesso do espelho Says:

    […] Que venham as irmãs. Novamente. […]

  9. FASHION RIO - DAY 1 « o avesso do espelho Says:

    […] da SPFW, a cobertura carioca por aqui será como a irmã da semana paulista de moda – malemolente. Sem o caráter informativo que outros blogs oferecem com muito mérito (aqui ó), falarei sobre o […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: